Ternura, entendimento e respeito

Pode-se perceber claramente que alguns casais, com o passar do tempo, vão tornando-se cada vez mais amigos e encontrando cada vez mais prazer nas atividades em comum ou, simplesmente, em estar juntos. É uma alegria “voltar para casa”; uma alegria atingir as diversas metas propostas em benefício de uma ou de ambas as partes. O lar constitui-se num ambiente aconchegante, em que cada um pode se reabastecer, efetuando as trocas íntimas mais significativas. Três palavras singelas definem o que se passa nesse tipo de relação: ternura, entendimento e respeito. Há espaço para o nós: para o casal, para a família, para os amigos. E há espaço, também, para o eu: para os interesses individuais de cada uma das partes, incluindo-se aqui amigos pessoais e relações profissionais, que não necessariamente interessam a ambos. (In: Anton, Iara L. Camaratta. A escolha do cônjuge – um entendimento sistêmico e psicodinâmico. ARTMED: POA, 2012, p. 263).