PRIVACIDADE: “A PELE QUE NOS SEPARA”*

Iara L. Camaratta Anton

Casais ou indivíduos que buscam ajuda terapêutica não necessariamente apresentam dificuldades relativas à intimidade física ou emocional. De qualquer forma, o processo terapêutico favorece – ou deveria favorecer – a ampliação e o aprofundamento da intimidade em relação ao próprio self e na relação com o parceiro eleito. Mas, curiosamente, há aqueles casos em que se faz necessário o desenvolvimento de demarcações de fronteiras interpessoais mais claras e sólidas, pois a privacidade também é um fator necessário à qualidade do vínculo conjugal – um fator tão importante quanto o amor e a confiança mútuos.

Pele é o tecido que recobre o corpo de pessoas e de animais. Ela nos demarca, distingue-nos uns dos outros e, ao mesmo tempo, nos protege. Queimaduras muito graves, por exemplo, tornam-se portas abertas para infecções, justamente porque, nestas circunstâncias, a pela agredida perde sua capacidade de defesa.

Diversos autores, referem à pele como uma boa metáfora, a respeito do que ocorre sob o aspecto psicoemocional, capaz de separar, diferenciar e definir o que está dentro de um e de outro, o que pertence a um e a outro, o que caracteriza a um e a outro. Se pensássemos e sentíssemos da mesma forma, se fôssemos totalmente transparentes, o que seria de nós mesmos, de nosso self?

 

Em cada um de nós, existe algo que é particular, específico, indicativo de nossas singularidades. Sim, somos únicos, incomuns – por mais comuns que sejamos. Desse nosso eu, compartilhamos partes que podem e devem variar de acordo com as circunstâncias e os momentos propícios – a menos que não tenhamos controle sobre nós mesmos e sejamos movidos por alguma espécie de compulsão. Assim, cabe levarmos em conta que existem partes muito íntimas, que ficam reservadas a pessoas muito especiais. O “particular” é de propriedade e uso exclusivo de alguém, é privativo; portanto, não é de uso geral ou público. Então, isto significa que, quando se pretende cultivar um vínculo de amor, o espaço para a privacidade deixa de existir? O que é privacidade, afinal?…

* Este é um dos temas a serem discutidos no próximo curso intensivo, a realizar-se nos dias 16 e 17/03/18, no Quality Hotel, em Porto Alegre: “A privacidade e o segredo: reflexões de ordem clínica”.

* Acima, encontra-se um recorte do livro “O casal diante do espelho. Psicoterapia de casal – teoria e técnica (Pearson/Casa do Psicólogo/SP), da mesma autora.